Respondendo ao desafio do Sr. Ministro da Educação sobre a implementação do Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, desenhou-se na Escola Básica Dr. Fortunato de Almeida, um programa de atividades, organizadas de modo a possibilitar a participação de todos.

Como o Perfil dos Alunos configura o que se pretende que os jovens alcancem no final da escolaridade obrigatória, mobilizaram-se todos os anos em torno de atividades interdisciplinares, diferenciadas e complementares, cujo foco principal foi apresentar o documento aos alunos, apoiar a descodificação da terminologia utilizada e refletir e apresentar soluções concretas de organização da escola e do ensino que visem a consecução desse Perfil.

Nas turmas de 5º e 7º ano articularam-se as atividades com os projetos em implementação no âmbito do Projeto de Flexibilidade e Autonomia Curricular. Nas turmas de 6º ano a disciplina de Educação para a Cidadania foi o polo aglutinador e dinamizador das atividades, envolvendo os Diretores de turma e disciplinas de que são docentes.

Aos debates e reflexões que ocorreram em contexto de sala de aula, orientados por vários docentes, apoiados em apresentações e ou outro material selecionado e construído para o efeito, juntou-se a produção e exposição de material iconográfico e textual, manuscrito ou impresso, organizado em murais temáticos (5º e 7º ano). O trabalho realizado nas turmas do 6º ano traduziu-se na construção de uma escada, cujos blocos/ patamares representam o caminho a percorrer ao longo de toda a escolaridade, no aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver juntos e a viver com os outros e o aprender a ser. Nas turmas do 8º ano deu-se primazia ao debate em torno da temática.

Medir o impacto destas intervenções não é tarefa fácil. O interesse e a participação de muitos alunos que já revelam mais facilidade nas competências comunicativas auguram um futuro auspicioso. Constituiu-se em mais um momento de aprendizagem. Resta que todos se consciencializem do caminho a percorrer e como o fazer, para que seja possível atingir os objetivos individuais e coletivos.

Algumas fotografias dos trabalhos desenvolvidos...

Foi este o mote para mobilizarmos a nossa escola para a Feira do Livro, na EBFA. Ninguém ficou indiferente e todos quiseram saber a resposta. O Zbiriguidófilo vive, há anos, na nossa escola, por ali, algures entre a Portaria e o relvado, entre as árvores e as aulas de Português, numa caixa forrada com papel quadriculado ou na história que Pitum Keil do Amaral criou em dois momentos da sua vida, para aguçar a vontade dos nossos alunos para a leitura, para fazer voar a sua imaginação. E não é que o escritor veio mesmo desvendar o segredo há muito guardado? E não é que trouxe a sua obra, best-seller da nossa edição deste ano da Feira do Livro? E não é que também esteve connosco a ilustradora do livro, Lira Amaral? Pois foi. E não é que melhor do que ouvir uma boa história, é ler e fazer parte dessa história ou, antes, tornar a história parte de nós?

 

Clotilde Santos

 

Faça da sua e nossa escola uma “ESCOLA SOLIDÁRIA”

 

Mais uma vez se vai realizar a “Campanha de Solidariedade e Feira a Custo Zero”, integrada no Plano Anual de Atividades, sob o lema “A solidariedade (re) constrói.”

Este ano o produto da campanha será distribuído pelas famílias afetadas pelos incêndios, em rede com as instituições Câmara Municipal e Junta de Freguesia de Nelas, que, no terreno, identificam as necessidades. A campanha de recolha de bens decorrerá entre os dias 1 e 15 de dezembro. Precisamos de livros “velhos”, desatualizados e fora de uso, que serão entregues para reciclagem e convertidos em alimentos. Precisamos de açúcar, massa, enlatados, cereais, bolachas, óleo, azeite, com prazos de validade alargados. Precisamos de pequenos eletrodomésticos.

 Ajude o seu educando a ser solidário.

Bem-haja!

 Entregue. Dê. Em todas as escolas do Agrupamento há locais de receção para os donativos.

Ano letivo 1017-2018

 

Note bem: se for surpreendido por um fantasminha na noite do dia trinta e um de outubro, não se assuste. O malandrete terá fugido das exposições que estarão patentes a partir do dia trinta, nas escolas do 1º e do 2º ciclos, com trabalhos dos alunos de Inglês. A criançada já deitou mãos à obra. “Don’t worry. It’s Halloween”.  

E mais: até vai haver prémios.

E mais: sabia que…

“O Halloween, ou Hallowe’en, tem a origem numa tradição muito antiga, o Samhain. O Samhain, Samain ou Samhuinn (um termo de origem gaélica que significa “o fim do verão”), marcava o início do inverno, o fim das colheitas e o início do novo ano celta que, de acordo com calendário gregoriano adotado no século XVI, se comemorava a 1 de novembro. Era a celebração mais importante do antigo calendário celta e, apesar de ter sido substituído no século VII, é ainda hoje relembrado por toda a Europa sob a forma de diferentes tradições e costumes que perduram até aos nossos dias. Desde tempos imemoriais que o período está associado aos fantasmas, espíritos e à morte.

Tradicionalmente, durava três dias, coincidindo atualmente com as celebrações católicas da Vigília de Todos os Santos (noite de 31 de outubro), Dia de Todos os Santos (1 de novembro) e Dia dos Fiéis Defuntos (2 de novembro).”

                                                              In observador.pt/especiais/verdadeira-historia-halloween

       As alunas Andreia Marques Sá Bento e Íngride Paloma Pais Leite, do 6º D, da Escola Básica Dr. Fortunato de Almeida obtiveram o 3º lugar e receberam uma menção honrosa na Prova Nacional dos Eco - Cozinheiros 2017 que decorreu no dia 29 de maio, na Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, em Caldas da Rainha no âmbito do Concurso Alimentação Saudável e Sustentável, promovido pelo Programa Eco-Escolas. Este concurso visou a elaboração, pelos alunos, de ementas saudáveis que pudessem ser implementadas nas Cantinas Escolares.

halloween_topoDia das Bruxas ou Halloween é celebrado todos os anos na noite de 31 de outubro, um pouco por todo o mundo, mas especialmente em países como os Estados Unidos da América, Irlanda, Canadá e Reino Unido.   As bruxas, os gatos pretos os morcegos, as aranhas e as velas são alguns dos elementos e símbolos associados a esta data, de origem pagã, no povo celta, há dois mil anos e que que festejava no seu calendário o fim do verão, o início do Ano Novo e as boas colheitas tidas. A comemoração original chamava-se Samhain, que significa "fim de verão".